Comunicação Social do MPPR

Consumidor

05/04/2017

Anvisa proíbe venda de marca de azeite de oliva pela segunda vez

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a distribuição e venda do lote 16D18, válido até 04/2019, do azeite de oliva extravirgem, marca Olivenza. O lote do produto, fabricado pela empresa Olivenza Indústria de Alimentos Ltda, de Mongágua, São Paulo, apresentou resultados laboratoriais insatisfatórios e excesso de iodo.

De acordo com o laudo de análise fiscal, emitido pelo Centro de Laboratório Regional de Santos IX (Instituto Adolpho Lutz), o lote em questão apresentou índices de refração e índices de iodo acima das faixas recomendadas. A determinação da Anvisa foi publicada no Diário Oficial da União na última sexta-feira.

Em abril do ano passado, a Anvisa também proibiu a venda de um lote da marca de azeite após dois laudos de laboratórios diferentes identificarem problemas na qualidade e possibilidade de adulteração no alimento.

Segundo a reguladora, dois laudos indicaram que o produto pode ter sofrido adulterações. Um desses documentos foi emitido pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). O outro, pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL).

A empresa não interpôs recurso ou requereu perícia de contraprova. As amostras foram colhidas durante fiscalização da Anvisa.

Segundo a Funed, o produto apresentou resultado insatisfatório em um ensaio, que revelou problemas na qualidade. Já o laudo emitido pelo IAL indica que o azeite possuía substâncias não características ao óleo padrão.

Fonte: Gazeta do Povo, 04/04/2017.
Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem