Comunicação Social do MPPR

Direitos Humanos

21/10/2010

Profissionais de diversas áreas participam da Reunião estadual preparatória ao Encontro dos Trabalhadores da Assistência Social

Na quarta-feira, 20 de outubro, assistentes sociais, sociólogos, psicólogos e pedagogos formaram um público plural na Reunião estadual preparatória ao Encontro dos Trabalhadores da Assistência Social – Região Sul, realizada no auditório da sede do MP-PR. O encontro, que contou com a participação de mais de 200 pessoas, foi promovido pelo Conselho Regional de Assistência Social (CRESS), com apoio do Ministério Público do Estado do Paraná, Conselho Regional de Psicologia do Paraná, Centro de Estudos e Assistência Social, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba - SISMUC, Central Única dos Trabalhadores do Paraná – CUT/PR, Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Social do Paraná – SINDASP/PR e a Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais Cutistas do Estado do Paraná - FESSMUC/PR. Participaram da mesa de abertura o promotor de Justiça, integrante do Centro de Apoio dos Direitos Constitucionais, Alberto Vellozo, a representante dos conselhos e fóruns de União da Vitória, Cristiane Meyer, a presidente do SINDASP/PR, Lucimari Sampaio Bezerra, a integrante da Associação de Terapeutas Ocupacionais, Andrea Fedeyer, a conselheira municipal de assistencia social, Vera Armstrong e o Deputado Federal, Dr. Rosinha (PT-PR).

A reunião buscou fomentar a discussão sobre as atribuições de cada categoria profissional, na perspectiva de assegurar o atendimento adequado às demandas dos usuários dos serviços socioassistenciais no Paraná. Os debates foram preparatórios para os encontros Estaduais, previstos para novembro, e da etapa nacional, que será nos dias 16 e 17 de novembro.

A contextualização o Sistema Único de Assistência Social – SUAS foi tema da palestra ministrada pela assistente social da Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos de Planejamento Institucional do Ministério Público do Paraná, Denise Ratmann Arruda Colin. Para Denise, ao longo dos anos a assistência social foi efetivada de forma clientelista e fragmentada, como um favor do estado para populações empobrecidas. A nova política busca o atendimento integrado, organizado em cada município em uma rede socioassitencial de proteção. “Não há nenhuma possibilidade de organizarmos estes serviços sem a relação com outros setores e políticas públicas”, opina.

Jucimeri Isolda Silveira, presidente do CRESS, tratou sobre a gestão do trabalho e a Tipificação dos Serviços do SUAS. Entre os elementos que influenciam na qualidade dos serviços prestados à população, na opinião de Jocimeri, as condições e relações de trabalho está entre os principais. Além disso, elenca como importante os vínculos trabalhistas, os fatores materiais para o desenvolvimento de atividades e as condições éticas e técnicas. Sobre a aplicação das políticas de assistência social, Jucimeri aponta que mesmo com os avanços do SUAS ainda há a utilização da assistência social como ajuda, na lógica clientelista e patrimonialista. “Precisamos superar a tendência moralista da questão social, a ideia de assistência repressora, que vem desde os anos 1930”.

Durante o evento, profissionais de diferentes áreas apresentaram suas realidades de trabalho, apontaram problemas e propostas de encaminhamento. Também esteve na pauta a construção do Fórum dos Trabalhadores do SUAS no Estado.

Confira aqui os vídeos da reunião




















Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem