Comunicação Social do MPPR

Institucional

22/05/2012

Empossados três novos procuradores de Justiça

Veja a cobertura fotográfica na sequência da matéria



Foram empossados nesta segunda-feira, 21 de maio, como procuradores de Justiça, Elisabete Klosoviski, Rosângela Gaspari e Paulo Cesar Busato. Em cerimônia realizada no auditório da sede do Ministério Público do Paraná, em Curitiba, presidida pelo procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, os empossados foram saudados pelo orador da Associação Paranaense do Ministério Público, Marcelo Balzer Correia, e pelos procuradores de Justiça Vani Antonio Bueno e Luiz Eduardo Trigo Roncaglio, que falaram em nome do Colégio de Procuradores.

Lembrando da atuação dos três empossados, enquanto promotores de Justiça, na área criminal, Balzer ressaltou a importância de uma atuação coerente do Ministério Público naquela seara, neste momento em que se tenta recrudescer as leis penais, muitas vezes em detrimento dos direitos e garantias constitucionais. “A lei penal deve ser concebida como última solução para o problema da violência, pois não é, nunca foi e jamais será superação para a segurança pública de um povo”.

Vani e Roncaglio destacaram a relação de amizade e respeito que têm com os novos procuradores, com quem tiveram convivência muito próxima. O primeiro, em relação às duas procuradoras, com quem atuou nas varas criminais e na antiga Promotoria de Investigação Criminal, e o segundo, em relação a Busato, que, já no início da carreira, foi promotor substituto na comarca em que Roncaglio era titular.
Chegando à atuação em segundo grau após 26 anos de carreira, Elisabete Klosoviski lembrou em seu discurso a expressão do apóstolo Paulo: “Combati o bom combate, mantive a minha fé”, ressaltando que “o bom combate é aquele travado em nome dos nossos sonhos”.

Muito emocionada, Rosangela Gaspari afirmou que, nessa nova etapa da vida, tem dificuldades de “se despedir da promotora”. Lembrou dos tempos difíceis pelos quais passou na carreira, sobretudo quando atuou na antiga Promotoria de Investigação Criminal, quando sofreu, inclusive, ameaças de morte, ressaltando a importância do apoio irrestrito da família naquele momento. Referindo-se especificamente ao marido, afirmou: “Ele não só vestiu a camisa, ele vestiu também um colete a prova de balas”.

Paulo Busato contou um pouco da história de seu pai, que, na década de 60, foi promotor nomeado pelo governador e que nos anos 70 pretendia ingressar na instituição por meio de concurso público, falecendo antes de realizar seu sonho. Ele próprio sente-se, agora, realizando um sonho próprio e também do pai. “Aqui não deve ser nunca um ponto de chegada”, disse, referindo-se à atuação em segundo grau. Citando René Dotti, que afirmou que “o homem é o início e o fim da aventura do Direito”, Busato disse querer levar a frente a ideia de defesa do regime democrático, dos seres humanos e da relação do Estado por e para o ser humano”. “O foco é promover a Justiça através do regime democrático também na área criminal”.

O procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, lembrou que chegar ao segundo grau da carreira é como “voltar para a própria casa”. Comparou a trajetória do membro do Ministério Público à história de Confúcio, que, expulso de sua cidade, saiu por seu país, nos mais distantes recantos, pregando os princípios nos quais acreditava, o bem, o belo e a verdade; voltando depois para casa, ante o reconhecimento, pelo Império, de seu elevado valor espiritual. “O promotor que começa sua carreira inicia a trajetória ministerial convicto de que pode construir um mundo melhor e mais justo. Depois de longos anos, fiel a esses mesmos ideais, retorna para ser reconhecido como o soldado que combateu o bom combate” e continua uma nova fase dessa mesma luta: “Vamos prosseguir combatendo em favor dessa mesma causa, voltando-nos contra a onipotência dos números e o esquecimento dos nomes!”. Terminou reforçando os ideais da justiça e lembrando “a mais lacerante das injustiças humanas”, simbolizada na cruz, com um trecho do poema “Aos Pés da Cruz”, do advogado, jornalista e poeta campineiro Guilherme de Andrade e Almeida: “Ah! se ao menos, ao fim dos meus passos incertos, eu tivesse por cruz os teus braços abertos!”.

Carreira - Formada em Direito pela Universidade Federal do Paraná, Elisabete Klosoviski ingressou no Ministério Público em 1990. Ao longo de sua carreira, atuou nas comarcas de Wenceslau Braz, Reserva, Paranavaí, Laranjeiras do Sul e Curitiba. Na capital desde 1995, foi promotora de Justiça junto à 5ª e à 11ª Varas Criminais, tendo nesta última permanecido por mais de doze anos.

Também graduada pela UFPR, Rosângela Gaspari é pós-graduada em Direito Processual Penal pela PUC/PR (Lato Sensu - 1998). Ingressou na carreira em 1990, atuando nas comarcas de Campina da Lagoa, Mallet, Palmas e Curitiba. Foi integrante do primeiro grupo de promotores de Justiça (1994) que compôs a Promotoria de Investigação Criminal (PIC), atualmente sob a denominação de GAECO. Exerceu durante o período de 2000 a 2004 atribuições junto à Coordenadoria de Recursos Criminais do Ministério Público. De 2006 até abril de 2011, atuou como promotora de Justiça da área criminal no Centro de Apoio Operacional das Promotorias Criminais, do Júri e de Execuções Penais. Atualmente exerce suas atribuições como promotora-corregedora da Corregedoria-Geral do Ministério Público e também é professora de Prática de Direito Processual Penal da Fundação Escola do Ministério Público do Estado do Paraná (FEMPAR).

Paulo Cesar Busato também ingressou no MP-PR em 1990. Atuou nas comarcas de Campo Largo e São José dos Pinhais, como promotor substituto, e como titular em Pinhão, Santa Mariana, Assis Chateaubriand, Paranavaí, Marialva e Ponta Grossa, onde também coordenou unidade da FEMPAR. A partir de 2006, atuou na assessoria de gabinete do Procurador-Geral de Justiça e compôs a Assessoria de Recursos Especiais e Extraordinários Criminais do MP-PR, onde está até o momento. Entre 2000 e 2005, obteve os títulos de especialista em Direito Penal Econômico pela Universidade de Coimbra; mestre em Direito Penal pela Univali e doutor em Problemas Atuais do Direito Penal, pela Universidade Pablo de Olavide. É professor concursado da UFPR e da FAE e professor convidado de vários cursos de pós-graduação no Brasil e em outros países da América Latina e da Europa. Autor de alguns livros e artigos científicos na área de Direito Penal.


22/05/2012

Foto de Elisabete Klosoviski, Rosângela Gaspari e Paulo Cesar Busato
Elisabete Klosoviski, Paulo Cesar Busato e Rosângela Gaspari

Mesa do posse

Mesa da posse dos três procuradores

Elisabete

Rosangela

Busato

Público da solenidade

Balzer

Discurso de Elisabete

Discurso de Rosangela

Discurso de Busato

Discurso de Vani

Discurso de Roncaglio

Empossados e família

Empossados com PGJ


Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem