Comunicação Social do MPPR

Institucional

22/07/2010

22/07/2010 - CRIME ORGANIZADO - Operação integrada do MP-PR e Polícias Civil e Militar leva 33 à prisão

Trinta e três pessoas foram presas nesta quinta-feira (22), em Curitiba, Região Metropolitana, Matinhos, Paranaguá, Campo do Tenente e Rio Negro, na operação denominada “Maresia”, deflagrada pelo Ministério Público, por meio do Gaeco - Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, em conjunto com diversas unidades especializadas das polícias Civil e Militar. A operação, que envolveu 200 policiais militares e civis, desarticulou três quadrilhas ligadas ao tráfico de drogas, sobretudo de crack, que promoviam lavagem de dinheiro através de empresas de fachada, como lojas de veículos e supermercados.

Durante a operação, foram cumpridos 30 dos 34 mandados de prisão e todos os 52 mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara de Inquéritos Policiais da capital. Três pessoas foram presas em flagrante por porte ilegal de arma. Foram apreendidos 15 quilos de pasta base, 800 gramas de cocaína, dois quilos e 500 pedras de crack, dez armas de fogo, além de mais de R$ 15 mil em dinheiro e outros valores em cheques.

De acordo com o coordenador do Gaeco Curitiba, promotor de Justiça Vani Antonio Bueno, as investigações que resultaram na operação tiveram inicio há seis meses, com o trabalho conjunto das polícias Civil e Militar e do Ministério Público do Paraná. O tenente Fábio Barros, também do Gaeco, conta que muitos dos dados que levaram à desarticulação das quadrilhas vieram de informações feitas pela população ao Narcodenúncia (181).

O trabalho resultou na prisão de pelos menos três pessoas apontadas como grandes distribuidores das drogas: Valdecir Bijari e “Titião”, presos em Curitiba, e Adilson Fidelis, conhecido como “Gaivota”, preso em Matinhos. Segundo o que foi apurado até o momento, a estimativa é que esses três grupos movimentavam cerca de 100 quilos de crack por mês, sendo que pelo menos um deles atuava no mercado ilícito há dez anos.

“Assim como criminosos por vezes se associam para praticar crimes contra as pessoas de bem, as instituições públicas têm o dever de buscar a integração para defender a sociedade”, afirmou o comandante geral da Policia Militar do Paraná, coronel Luiz Rodrigo Larson Carstens, que participou da entrevista coletiva realizada na sede do Gaeco, para apresentação dos resultados da operação.

Os presos foram levados para os Centros de Triagem I e II.


Informações para a imprensa com:
Jaqueline Conte / Maria Amélia Lonardoni
(41) 3250-4229 / 4226

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem