EDUCAÇÃO - Só 54% acabam ensino médio na idade correta

Data 09/12/2014 | Assunto: Criança e Adolescente

EDUCAÇÃO - Só 54% acabam ensino médio na idade correta09/12/2014 - Pouco mais da metade (54,3%) dos jovens brasileiros com até 19 anos conseguiu concluir o ensino médio na idade certa no ano passado, segundo estudo divulgado ontem pela ONG Todos pela Educação. Embora haja uma pequena melhora na comparação com o ano anterior (53%), o índice está bem longe da meta traçada pelo Plano Nacional de Educação - 85% até 2022.


Educação. Índice está bem distante da meta estabelecida pelo governo federal para 2022.
Estudo revela, ainda, que 1,6 milhão de jovens entre 15 e 17 anos estão fora da escola.

Pouco mais da metade (54,3%) dos jovens brasileiros com até 19 anos conseguiu concluir o ensino médio na idade certa no ano passado, segundo estudo divulgado ontem pela ONG Todos pela Educação.

Embora haja uma pequena melhora na comparação com o ano anterior (53%), o índice está bem longe da meta traçada pelo Plano Nacional de Educação - 85% até 2022.

O levantamento, feito a partir dos resultados do PNAD 2013 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), revela ainda que aumentou o número de jovens com idades entre 15 e 17 anos fora da escola.

São 1,6 milhão de jovens (15,7% do total da faixa etária) que deixam de concluir o ensino médio. Outros 19,6% estão ainda no ensino fundamental. De acordo com o estudo, entre os 25% mais ricos, 83,3% terminam o ensino médio. Entre os 25% mais pobres, o índice cai para 32,4%.

"É preocupante ver esse ritmo muito aquém do o ideal", diz o gerente da Todos pela Educação, Ricardo Falzeta. "Com a situação atual, o Brasil não cumprirá a meta. A sociedade tem que cobrar".

Descaso com a educação

"O problema do ensino médio começa no fundamental. É preciso fazer um trabalho de gestão bem coordenado, de formação de professores e currículo. Parar de considerar os alunos municipais, estaduais ou federais. Tem que ser um aluno brasileiro, que receba o mesmo padrão de qualidade de ensino. Se as políticas públicas não sofrerem interferência partidárias, já é um grande passo."

Análise de Ricardo Falzeta, Todos pela Educação

Flávia D'Angelo
Metro São Paulo

[Fonte: Metro Curitiba - 09/12/2014 - Edição nº 907, ano 4 - Pág. 05]

 

Matérias relacionadas:   (links internos)
»   Educação
»   Educadores

Notícias relacionadas:   (links internos)
»   (05/09/2014)   EDUCAÇÃO - Protesto suspende aulas em colégio onde professora foi esfaqueada
»   (02/09/2014)   ESTATÍSTICAS - Pesquisa põe Brasil em topo de ranking de violência contra professores
»   (28/08/2014)   EDUCAÇÃO - Estudo do Unicef destaca ações dos MP's no enfrentamento da exclusão escolar

Referências:   (links externos)
»   CAOPCAE/MPPR - Área da Educação
»   SEED/PR - Secretaria de Estado da Educação

 

 






Está notícia foi publicada no Central de Comunicação Social do MPPR https://comunicacao.mppr.mp.br

Endereço desta notícia:
https://comunicacao.mppr.mp.br/modules/noticias/article.php?storyid=11930