Em Capitão Leônidas Marques, Tribunal do Júri condena a 21 anos de prisão por homicídio e ocultação de cadáver réu que matou amante grávida

Data 23/08/2019 | Assunto: Criminal

De acordo com a denúncia apresentada pelo MPPR, o réu cometeu o homicídio porque a vítima, com quem tinha relações extraconjugais, estaria grávida dele – fato que o homem queria esconder da própria esposa.

Um homem que matou a amante e escondeu seu cadáver foi condenado a 21 anos de reclusão em julgamento do Tribunal do Júri de Capitão Leônidas Marques, no Oeste paranaense. O crime – homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver – aconteceu na madrugada de 11 de janeiro de 2013.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná, o réu cometeu o homicídio porque a vítima, com quem tinha relações extraconjugais, estaria grávida dele – fato que o homem queria esconder da própria esposa. Após desacordar a vítima, ele a teria executado com um tiro na cabeça e enterrado o corpo em local ainda não encontrado.

Não foi aplicada a qualificadora de feminicídio porque o crime ocorreu antes da lei que a incluiu no Código Penal.

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
(41) 3250-4249






Está notícia foi publicada no Central de Comunicação Social do MPPR https://comunicacao.mppr.mp.br

Endereço desta notícia:
https://comunicacao.mppr.mp.br/modules/noticias/article.php?storyid=21834